comunicacao_medico_paciente_0

O médico ideal

A maioria das vezes em que nos deparamos com a necessidade de ter uma consulta médica e precisamos decidir qual médico escolher, recorremos a uma das três opções: abrimos o livro do plano de saúde e escolhemos o médico mais perto de casa; perguntamos a um conhecido se ele tem alguma boa referência; ou então, vamos à internet. Essa é uma situação frequente, principalmente entre os usuários de planos de saúde. Mas você realmente já parou para pensar em que médico você realmente gostaria que o atendesse?

      Muitas pesquisas já foram feitas sobre esse assunto. Perguntando às pessoas, muitas respostas surgem, mas na maioria das vezes elas giram em torno de um médico que compreenda o sofrimento do paciente, que o acolha em seu consultório, seja educado, transmita sensação de segurança, seja respeitoso, saiba comunicar bem as informações. Percebe-se logo que quase nunca as pessoas referem à capacidade técnica do médico, quando pensam em seu médico ideal. Isso não quer dizer que alguém queira um médico que não saiba de medicina, não! As pessoas simplesmente já presumem que o médico tenha que ser um bom técnico, e simplesmente pulam essa descrição na hora de dizer o que esperam dele.

dr-house-2_676_1024x768

É comum ouvir aquela expressão “Dr. Fulano é um cavalo, mas é muito bom médico”. Esse Dr. Fulano, ou melhor, Dr. Cavalo, também é figura no imaginário das pessoas, e aparece inclusive em seriados de televisão, às vezes como herói. Ele não é a primeira opção para a maioria, mas na falta de algo melhor, ele é o porto-seguro onde a pessoa se ancora. Não é uma relação saudável, no entanto. Um médico que não sabe comunicar de forma que o paciente aceite e entenda a informação, que atrase a consulta, que seja ríspido e até grosseiro, não é o desejo de ninguém. O Dr. Cavalo figura entre os principais alvos de processos contra médicos no Brasil e no mundo. A principal motivação de processos contra médicos não está relacionada a erros médicos, mas sim a falhas na relação médico-paciente.

O ideal é que todo médico agisse como foi descrito no segundo parágrafo. Quando a relação médico-paciente não é bem estabelecida, é comum o paciente buscar outro médico. Essa peregrinação de médico a médico em busca do doutor ideal pode levar muito tempo, e dependendo do problema que a pessoa tem, o tempo pode ser precioso, e desperdiçá-lo pode custar um preço muito alto. É por isso que muitas iniciativas para facilitar a escolha do médico existem, e uma delas é justamente o http://impaciente.org/. Nele você pode ver a opinião de pessoas que receberam atendimento médico, ajudando bastante na sua decisão. Acesse!