Atendimento Domiciliar pelo SUS

Com os avanços da Medicina Moderna fomos capazes de melhorar muitos prognósticos e aumentar não só a longevidade como também a qualidade de vida de muitos pacientes. Hoje uma série de patologias que antes manteriam uma pessoa internada por longos períodos podem ser tratadas em casa, como por exemplos pacientes crônicos e com dificuldades de locomoção, obtendo-se resultados até melhores.

Uma série de fatores podem ser associados a essas respostas positivas. Em um ambiente familiar o paciente sente-se mais confortável, torna-se menos vulnerável a episódios de depressão, além de estar menos exposto às temidas infecções hospitalares. Contudo, para que o tratamento domiciliar seja uma opção, é preciso haver uma estrutura para atender o paciente, inclusive uma estrutura de atendimento clínico.

Para atender esses usuários o Ministério da Saúde possui o Programa Melhor em Casa, da Coordenação-Geral de Atendimento Domiciliar, que gerencia ações de prevenção, promoção, tratamento e reabilitação da saúde. Suas atividades se propõem a dar continuidade ao cuidado das outras Redes de Atenção à Saúde.
Os usuários são distribuídos segundo a gravidade de sua patologia entre equipes multiprofissionais da Atenção Básica (AB) e dos Serviços de Atenção Domiciliar (SAD). Dessa forma casos que necessitem cuidados de menor intensidade são atendidos pela AB e, os que têm maior grau de complexidade, precisando de uma atenção mais freqüente e intensidade, são atendidos pelos SAD.
As equipes multiprofissionais do SAD são formadas por médicos, enfermeiros, técnicos/auxiliares de enfermagem, fisioterapeutas e assistentes sociais, podendo haver o rearranjo dos dois últimos por outros profissionais de saúde segundo a necessidade. Cada equipe fica responsável pelo atendimento de uma população de até 100 mil habitantes, segundo o local de residência, podendo ser alocada em nos diversos tipos de estabelecimentos de atenção à saúde (hospitais, UPAs e UBS).
Há também equipes multiprofissionais de apoio formadas por fonoaudiólogos, psicólogos, dentistas, fisioterapeutas, assistentes sociais, nutricionistas, farmacêuticos e terapeutas ocupacionais. Essas equipes oferecem apoio tanto às equipes da AB quanto dos SAD.
Para maiores informações acesse:
http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/index.cfm?portal=pagina.visualizarArea&codArea=364