Untitled

O que é Medicina de Família e Comunidade?

Nos últimos anos temos escutado muito sobre Saúde da Família, Clínicas
da Família, Programa de Saúde da Família, etc. Mas, afinal, o que é a
Medicina de Família e Comunidade (MFC)?

 O século XX foi muito marcado pelo desenvolvimento da ciência. Na
medicina, isso se manifestou, entre outras coisas, com o aumento de
especialidades médicas. Existem especialistas em partes do corpo
(coração, estômago, olhos), em doenças (doenças infecciosas, doenças do
sangue), em idades (crianças, idosos) e em determinadas técnicas
(Raio-X, cirurgia cardíaca, exames de laboratório).

 Todas essas especialidades são muito importantes, mas, o que vem
ocorrendo ultimamente é o que chamamos de “fragmentação do cuidado em
saúde”. Ou seja, uma pessoa é atendida por vários médicos diferentes,
de especialidades diferentes, que não conversam entre si. Esse
fenômeno é causado pela falta de integração entre os médicos
especialistas que cuidam de um mesmo paciente.  Dessa forma, não tem
ninguém para coordenar tudo isso, alguém que se responsabilize pelo
paciente como um todo e que analise, por exemplo, a interação entre os
diversos medicamentos que o paciente está tomando.

 Então, a solução está na coordenação entre as ações tomadas em
relação ao paciente, o que pode ser feito por qualquer um dos médicos

envolvidos no tratamento, mas é mais fácil de ser realizado por um

médico de família.

   Isso porque tal prática de coordenação faz parte da filosofia da
MFC, sendo uma competência da formação do médico de
família. 

A MFC é uma especialidade que tem por característica ser centrada na pessoa, buscando entender e tratar os fatores que levam alguém a ficar doente e não somente tratar a doença. Sendo assim, esse profissional tem maior tendência a não se deter somente a um órgão ou sistema, mas sim analisar e tratar todo o paciente, em seus aspectos físicos, biológicos e psico-sociais, entendendo que um ser humano é o resultado de suas relações familiares, do trabalho e da comunidade em que vive.

Sendo assim, esse médico irá assumir o cuidado não só por uma parte
de um paciente, mas sim por famílias inteiras, tratando de forma
integral cada membro que a compõe.

Caso você queira saber mais sobre a Medicina de Família e Comunidade, visite o site
da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade:
http://www.sbmfc.org.br/

Comentários

  1. Curti muito o texto.
    Fui a Cuba e pude acompanhar o que é realmente uma medicina de família e o que o excesso de incentivo à Atenção Primária à Saúde pode fazer. Podemos sim impedir que determinadas doenças cheguem a um quadro que necessitará da atenção terciária e de um maior custo para o Poder Público.
    Essa área MERECE ser mais explorada.Boa iniciativa!