Untitled

O controle da Hipertensão Arterial Sistêmica:

A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS), mais conhecida por “pressão alta” é uma doença que acontece quando o sangue circula com mais força pelos vasos do corpo. Essa doença, normalmente, está associada à obesidade, já que o excesso de peso gera um maior esforço para os órgãos.

Já existiram vários critérios para definir se um paciente é hipertenso ou não, mas atualmente, dizemos que uma pessoa tem Hipertensão quando sua pressão é maior ou igual a 140×90 mm Hg (o que chamamos no dia-a-dia de 14 por 9) em, pelo menos, 3 ocasiões.

Muitas vezes, a Hipertensão se manifesta de forma leve, com sintomas como dor de cabeça, tontura, falta de ar e sangramentos pelo nariz. É uma condição extremamente perigosa, podendo causar danos graves ao coração, rins, olhos e cérebro.

Assim, o tratamento da Hipertensão Arterial deve ser feito corretamente. Para isso, é preciso, sempre, melhorar a alimentação e os demais hábitos de vida. Mas, atenção, a prática de exercícios e o uso de medicamentos deve ser realizada SEMPRE com a orientação do médico! Lembre-se que o remédio que faz bem a um parente ou amigo, nem sempre é o ideal para você. Da mesma forma, o tipo e a intensidade dos exercícios físicos varia de pessoa para pessoa.

Como dissemos, a mudança na alimentação e fundamental para controlar a pressão arterial, inclusive, para aqueles que não são hipertensos. Então, reunimos aqui algumas dicas para melhorar a sua forma de comer. Antes de tudo, é importante saber que melhorar a alimentação não quer dizer só comer coisas ruins ou sem tempero, mas saber mesclar os vários tipos de alimentos, buscando o melhor de cada um deles.

1. Hoje em dia, a maioria dos alimentos que consumimos é industrializada e, por isso, contém um alto teor de sódio. O problema é que o sódio (também presente no sal de cozinha) é muito prejudicial para o controle da pressão. Por isso, uma primeira dica é que você reduza o uso do sal e dos temperos prontos na hora de cozinhar. Prefira utilizar temperos naturais como tomate, cebola, alho, cheiro verde, orégano e louro.

2. Nos intervalos entre as refeições troque o consumos das “besterinhas” como lanches fritos e biscoitos por frutas ou iogurtes, de preferência, os desnatados.

3. Quando for comprar um determinado alimento, observe o rótulo e escolha as marcas que possuam uma menor quantidade de sódio na porção.

4. Ao utilizar adoçantes evite os com ciclamatos ou sacarinas, pois eles contêm muito sódio.

5. É ideal também parar de fumar e reduzir o consumo de bebidas alcoólicas. Peça ajuda do seu médico. Atualmente, existem várias formas de deixar o cigarro.

 Caso você tenha dificuldade em mudar seus hábitos alimentares, não desista! Se parar de comer frituras, por exemplo, é muito difícil, tente restringir seu consumo aos finais de semana.

Para saber como está sua alimentação e obter mais dicas para uma alimentação saudável, visite: http://www.endocrino.org.br/como-esta-sua-alimentacao/

Aproveite sua visita ao nosso blog e comente sobre seu atendimento médico no site do (im)Paciente: http://www.impaciente.org