Untitled

O que é Refluxo?
Se você tem ou já teve contato com algum bebê, provavelmente, já ouviu falar em refluxo. Porém, você sabe o que, exatamente, é o refluxo? E que ele pode atingir pessoas de várias idades?
O Refluxo Gastroesófagico (RGE) é um nome difícil que os médicos dão para o retorno passivo do alimento que já estava no estômago para o esôfago, um tubo musculoso que liga a boca ao estômago. 
Em bebês que ainda mamam (lactentes), crianças e adultos, essa passagem pode ocorrer espontaneamente, sem que isso seja um problema. No entanto, quando esses eventos acontecem de forma persistente e mais duradoura (o normal é durar uns 3 minutos apenas), costumam ocorrer complicações mais sérias, o que caracteriza uma doença, a Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE).
Isso acontece porque quando engolimos, o esofâgo realiza vários movimentos para que o alimento desça para o estômago. Por sua vez, quando a comida chega ao estômago, este dilata, o que faz o esôfago ficar mais relaxado. O problema ocorre quando esse relaxamento do esôfago acontece em excesso, permitindo que o alimento volte.
A DRGE pode ser primária quando acontece por alterações do trato digestório alto ou secundária, quando algum outro problema está causando o refluxo,  como infecções, malformações congênitas, alergia ao leite de vaca, etc.
Nos lactentes, é muito comum o Refluxo Gastroesofégico Fisiológico, aquele que é normal nos primeiros meses de vida. Contudo, acredita-se que 5% desses bebês tenha a Doença (DRGE). Suspeita-se disso quando os sintomas continuam depois dos 2 anos, podendo persistir por toda infância e até adolescência.
Os sintomas dessa doença são vários e costumam mudar de acordo com a idade, mas, em geral, se dividem em típicos ou atípicos. Os sintomas típicos são aqueles que tem a ver diretamente com o retorno do alimento do estômago para o esôfago. Já os sintomas atípicos são mais gerais.
Nos bebês, os sintomas típicos costumam ser baixo ganho de peso, vômitos recorrentes, recusa em se alimentar, irritabilidade. Em crianças maiores e adolescentes, os sintomas podem ser mais bem definidos, até porque nessa idade, eles já conseguem expressar melhor o que sentem. Queixas frequentes são azia, náuseas, desconforto abdominal, dor no tórax, além dos vômitos frequentes. Os sintomas atípicos são comuns a todas as faixas etárias e são, principalmente, tosse crônica, chiados nos pulmões, asma crônica, rouquidão, pigarro, pneumonias constantes, dor de garganta crônica e alteração do esmalte dos dentes.
Existem inúmeras causas de vômitos e regurgitações. Por isso, para fazer um diagnóstico correto entre o Refluxo Gastroesofágico e a Doença do Refluxo Gastroesofágico, é fundamental que o médico seja bem criterioso, colhendo uma história completa do paciente, inclusive da sua alimentação e fazendo um bom exame físico, solicitando exames complementares se for preciso.
O tratamento da DRGE tem por objetivo reduzir ou, pelo menos, diminuir a intensidade dos sintomas e prevenir complicações, melhorando a qualidade de vida do paciente. Muitas vezes, quando a Doença é tida como não complicada nos bebês, o médico pode optar por um tratamento com medidas de suporte, sem que seja necessário submeter a criança a outros exames, que podem ser bem desconfortáveis. Por exemplo, manter o lactente em posição vertical após as mamadas por 20 a 30 minutos, o que facilita o “arroto” e o esvaziamento do estômago em direção ao intestino.
Como tratamento, também são propostas mudanças na dieta da criança, como o espessamento da dieta. Existem, inclusive, algumas fórmulas alimentares que fazem isso, reduzindo a quantidade de leite no alimento e substituindo por outros carboidratos mais densos, que têm mais dificuldade em retornar pelo esôfago.
É importante ter em mente que essa Doença pode ser bem grave, acarretando perda nutricional grave e hospitalização. Por isso, fique de olho nos sintomas e, em qualquer dúvida, procure sempre um médico.
Aproveite sua visita ao nosso blog e comente seu atendimento médico em www.impaciente.org.
Nos ajude a fazer uma avaliação da Saúde no Brasil pela visão de quem usa, a sua!

Comentários

  1. Excelente trabalho !